27/01/2012

Mulheres e Ciclos - Grupo Mulheres Sábias -


Encontro Mensal - Rio de Janeiro


Universo de Energia Sagrada Feminina - Mulheres Curando Mulheres
Um sábado do por mes.

Datas Próximos Meses, favor entrar em contato por email tanya.althea@gmail.com




Compartilhamentos, Transmissão de Ensinamentos,
Trocas de Opiniões sobre diversos assuntos,

Entre eles:
Tradições Célticas : Roda do Ano, Sabbats, Esbbats, A Lua , O Sol, As Direções;
Magia na Visão Moderna – A Intuição e a Sincronicidade;
Medicina Vibracional -  Chakras e Kundalini;
Energias Sagradas Masculina e Feminina
Maturidade e Sabedoria;
Energias dos Novos Tempos;
Trabalhadores da Luz;
Meditação e suas Diferentes Técnicas;
Deusas e Oráculos , Mestres;
Músicas, Orações e Danças;
Cura

Encontros das 10 às 14 horas com Lanche Compartilhado.
Por Tanya Althea – Sacerdotisa Celta e Terapeuta Holística.


21/12/2011

Grande Deusa ou Mãe do Mundo-, da função cósmica da sexualidade e do que o equilíbrio entre masculino e feminino trará à espécie humana terrestre


Canalização : Mestre Djwal Khul fala do significado da energia feminina -
... Num dado momento antes de tudo, a Deusa ergueu-se da escuridão e nasceu dela própria... E qual uma flor desabrochou e espargiu seus perfumes, como gotas de orvalho inundaram o infinito. E assim, com seu complemento divino, a vida aconteceu...

O primeiro culto da humanidade foi ligado à Deusa Mãe, que se manifesta de várias formas: Isis, Vênus, Ishtar, Iemanjá, Maria, Kwan Yin, Athenas e tantas outras. Todas as deusas com esta gama variada de nomes manifestam os atributos de uma só, a Mãe Universal, que é mais conhecida entre os humanos como Grande Mãe ou Grande Deusa.

A Mãe Universal é a energia da matriz cósmica moldando-se a vários planos de manifestação, influindo diretamente na aplicação do plano divino sobre a Terra. Não se restringe a um ser manifestado como individualidade. Irradia a energia criativa dando inteligência e adaptabilidade à matéria, impulsionando o propósito da existência. Em um primeiro instante, é o poder da Vontade Suprema ajudando a conceber a forma, seguindo um padrão arquetípico já delineado. É resultado da energia do amor, típica dessa manifestação, num movimento de coesão e agregação de partículas eletrônicas.
 É o movimento das pequenas partículas de luz que se juntam dando formação à matéria, obedecendo às forças de atração. Da mesma forma, depois que a matéria mais densa já experienciou o programa por ela traçado, manifesta-se a sutilização, através das forças de expansão e dispersão.

Pelo mesmo poder de vontade, a Mãe Universal descompacta a matéria, fluidificando-a para seguir rumo a outros estágios evolutivos. Durante a experiência material, o intuito dessa energia é despertar o amor em toda a sua capacidade, pois ele se torna o elo de ligação entre matéria e espírito induzindo à experiência, a padrões espirituais mais elevados. Assim é ativada a capacidade criativa do ser, que é inundado pela luz da Mãe Universal. Esta vai penetrando em todos os átomos, interferindo em sua rota habitual, conduzindo-os a penetrar nos mundos interiores de consciência superior.
O movimento dessa energia produz a dissolução das ligações da essência com a forma, rompendo aos poucos as ligações de um passado distante, dissolvendo o campo de ilusão a que a matéria física se submete. É chamada de Espírito Santo no cristianismo.

Da mesma forma, planetariamente, essa matriz cósmica manifesta-se como a consciência da Mãe do Mundo cujo significado é o kundalini da Terra, ou seja, a força que dá movimento à vida material. É a inteligência que desperta dentro do ser, rumo ao infinito, ativando o conhecimento do espírito que é representado pelo símbolo de uma flor. Esse conhecimento vem de dentro e não pode ser evocado pelas forças externas: como uma flor, ele brota na hora determinada!... Toda vida terrestre e humana tem ligação direta com essa consciência, que sintetiza a energia dos raios, e possui o poder de moldar a matéria, purificando, aperfeiçoando e sutilizando-a, para que possa expressar ordem, harmonia e beleza.




A consciência da Mãe do Mundo tem estreita ligação e encontra ressonância com alguns locais sobre o planeta Terra, os quais manifestaram e ainda manifestam suas energias, através do arquétipo da Virgem Maria e todos os nomes a ela atribuídos. Por isso, tantas imagens de Maria e tantas outras deusas são projetadas em todos os cantos do mundo.

A mulher Maria, que desempenhou a função de mãe de Jesus, foi a manifestação física potencializada da irradiação da Mãe do Mundo, ajudando a formatar o arquétipo primordial da polaridade feminina do universo Criador sobre o planeta. Deixou engendrada, na história da humanidade, sua experiência de amor e entrega como mãe resoluta e serviçal. Portanto, sua experiência como mulher, embora ainda oculta da maioria dos humanos, foi igual à de todas as outras mulheres do mundo. A única diferença é que seu filho marcou profundamente a história da humanidade e, portanto, um véu de castidade envolveu sua imagem, assim como envolve a imagem da mãe de Buda.




Muitas coisas não são reveladas, mas a arqueologia mostra e comprova essas evidências pelas estátuas, vasos, amuletos e outros tantos objetos com imagens e formas femininas que, no princípio, eram utilizadas para reverenciar a Grande Deusa. Assim, a magia e o encantamento, o culto ao sagrado e divino eram manifestados com amor e respeito, equilíbrio e harmonia. A sexualidade, o nascimento e a maternidade eram honrados e as mulheres eram respeitadas como as doadoras da vida, da mesma forma que ainda hoje o são em culturas indígenas preservadas.

Com o passar do tempo, o culto intenso ao patriarcado fez a deusa silenciar, trazendo um impacto desmedido que se arrasta até os dias atuais. As próprias mulheres deixaram-se influenciar por este contexto, perderam a sua feminilidade, interferindo até mesmo nos ciclos lunares de menstruação. Seu lado masculino (yang) tornou-se tão forte que gerou desequilíbrios internos. Mas, a Deusa, com imensa sabedoria, fingiu dormir à espera do seu renascimento, enquanto com sua mão oculta continuou tecendo o manto de luz sobre os que a invocam. Como tudo está em constante movimento, voltando ao mesmo ponto, eis que o macho clama pelo retorno da fêmea. O equilíbrio do universo se faz pela união do masculino e do feminino. Este é o momento.

As evidências são claras, a Grande Deusa se levanta, pois escuta o gritar daqueles que oram e pedem ajuda, e se mostra em todos os cantos.
Os acontecimentos marcam experiências fortes em muitas mulheres que se identificam com a Mãe do Mundo ou a Sacerdotisa Maior dos templos da unificação planetária. É sabiamente importante a identificação com essa energia: seja na sacerdotisa, santa, rainha, deusa ou bruxa, todas traduzem a essência da Grande Mãe.



 A sensibilidade feminina está sendo convocada a aflorar, limpando e fluidificando as amarras impostas por algumas civilizações que utilizavam o poder masculino como a força sobre a Terra.

Vocês estão num tempo importantíssimo e, cada vez mais, é preciso desmistificar o poder feminino que está ancorado no interior das mulheres. Há uma necessidade urgente de remodelagem e de perceber que as dificuldades nos relacionamentos com os parceiros de vida estão em crise porque a docilidade e receptividade feminina estão esquecidas. Tanto no homem quanto na mulher, é imprescindível resgatar a passividade, o movimento e a energia da pureza que foram deixadas para trás.
A sensualidade está travada pelos preconceitos, embora pareça solta e desgovernada, o prazer embutido, e o corpo está ressentindo a falta do sexo prazeroso e libertador da luz da divindade interna. A sexualidade é uma atividade orgânica normal dos corpos físico, mental e emocional, devendo ser compreendida em todas as suas manifestações. Neste tempo, os casais estão sendo chamados para se unirem no amor e no prazer de compartilhar sua união sagrada, elevando as freqüências vibratórias a níveis superiores de energia.

Mulher, a você é dada a oportunidade de ajudar na liberação da energia de inteligência do planeta, a assim chamada kundalini. Essa energia é a Mãe do Mundo na Terra, o aspecto feminino do Criador. Somente o aspecto feminino pode conduzi-la amorosamente à liberação em todo o seu esplendor. O corpo da mulher incorpora a energia da deusa todas as vezes que se entrega ao amor com consciência do sentido sagrado desse ato. 







O homem receptivo a ela recebe a vivificação deste aspecto feminino, fazendo com que o casal transcenda os limites da consciência humana. Uma relação sexual assim vivida, despretensiosa, amando e vibrando no êxtase, sem disputa de poder, coloca-os como complementos divinos e, na unidade de sensações, vibram transcendendo o físico, alinhando-se no orgasmo cósmico de seus corpos espirituais, na androginia perfeita, em que duas libélulas fundem-se no amor pleno. É neste instante de perfeita interação e plenitude que os portais da memória planetária (akasha) se abrem, como tênues fios dourados de vertentes de luz, que ambos, homem e mulher, recebem a grande revelação da luz supra-consciente.

25/09/2011


ORAÇÃO À GAIA



Abençoado seja o Filho da Luz

Que conhece sua Mãe Terra,
Pois é ela a doadora da vida.
Saibas que a sua Mãe Terra está em ti e tu estás Nela.
Foi Ela quem te gerou e que te deu a vida.
E te deu este corpo que um dia tu devolverás.

Saibas que o sangue que corre nas tuas veias
Nasceu do sangue da tua Mãe Terra,
O sangue Dela cai das nuvens, jorra do ventre Dela.
Borbulha nos riachos das montanhas,
Flui abundantemente nos rios das planícies.

Saibas que o ar que respiras nasce da respiração da tua Mãe Terra,
O alento Dela é o azul celeste das alturas do céu
E os sussurros das folhas da floresta.

Saibas que a dureza dos teus ossos foi criada dos ossos de tua Mãe Terra.
Saibas que a maciez da tua carne nasceu da carne de tua Mãe Terra.
A luz dos teus olhos, o alcance dos teus ouvidos
Nasceram das cores e dos sons da tua Mãe Terra
Que te rodeiam feito as ondas do mar cercando o peixinho.

Como o ar tremelicante sustenta o pássaro
Em verdade te digo, tu és um com tua Mãe Terra
Ela está em ti e tu estás Nela.
Dela tu nasceste, 
Nela tu vives e para Ela voltarás novamente.

Segue, portanto, as Suas leisPois teu alento é o alento Dela.
Teu sangue o sangue Dela.
Teus ossos os ossos Dela.
Tua carne a carne Dela.
Teus olhos e teus ouvidos são Dela também.

Aquele que encontra a paz na sua Mãe Terra
Não morrerá jamais,
Conhece esta paz na tua mente
Deseja esta paz ao teu coração
Realiza esta paz com o teu corpo.

Evangelho dos Essênios ( Recebido pela Internet)


17/03/2010

Curso Tradições Celtas - Mulheres e Ciclos - Grupo Mulheres Sábias



Encontros 1vez por mes (sábado ou domingo)  de 14:00h às 18:00h.

Formato:

Sala de estar com conversas INTERATIVAS sobre os diversos assuntos.
1 e-apostila por aula para email de cada participante do encontro.

Cerimonia de Consagração de Sacerdotisa para as que completarem as 13 aulas e os sabbats da Roda do Ano.
Consagração das Sábias ao final do período.

Compartilhamento, Trocas, de Opiniões sobre os assuntos.

Roda do Ano;
Sabbats;
Esbbats;
A Lua;
O Sol;
As Direções e seus Elementais;
Magia Moderna;
Medicina Vibracional;
Maturidade e Sabedoria;
Chacras;
Energias deste Novo Tempo;
Trabalhadores da Luz;
Energias Sagradas Masculina e Feminina;
Meditação e suas Diferentes Técnicas;
Deusas e Oráculos;
Mestres;
Músicas, Orações e Danças.
Cura.
Ao redor da Mesa com Lanche compartilhado por todas.





21/04/2009

ORAÇÃO : EU SOU A DEUSA



EU SOU A DEUSA,
EU SOU A BRUXA,
EU SOU AQUELA QUE ILUMINA E PROTEGE.
O PODER DA GRANDE MÃE ESTÁ DENTRO DE MIM.
QUE A GRANDE MÃE, A SENHORA DO NORTE,
ENCHA DE FRUTOS A ÁRVORE DA MINHA VIDA.
GRANDE DEUSA QUE HABITA O MEU SER!
SANTIFICA CADA PALAVRA MINHA E CADA ATO MEU.
AFASTA CADA SOMBRA DA MINHA VIDA,
ILUMINA TODAS AS MINHAS ESTAÇÕES, FAÇA-ME FORTE NA DOR,
FAÇA-ME BELA NO AMOR.
QUE TEU NOME E TEU PODER .
SEJAM O MEU NOME E MEU PODER.
QUE ASSIM SEJA E ASSIM SE FAÇA.


(desconheço a autora)

15/03/2009

O MITO DA RODA DO ANO - HEMISFÉRIO SUL



Roda do Ano Celta

A concepção de tempo dos pagãos (O termo pagão significa: povo dos bosques), principalmente a dos Celtas era um tanto quanto diferente da atual. O tempo era para eles, não linear, mas circular, cíclico; há também o calendário, que era para eles lunar, enquanto que o nosso é um calendário solar.

Originários da tradição celta, os sabbaths ocorrem oito vezes ao ano, ou seja, duas vezes a cada estação. Nessas ocasiões, são homenageadas duas divindades: a Grande Mãe, ou simplesmente a “Deusa”, que simboliza a própria terra, e o Deus Cornífero, O Gamo Rei, protetor dos animais, dos rebanhos e da vida selvagem.
Quando os raios do sol diminuem sua intensidade ao cair da tarde é o momento de nos prepararmos para mais um dia. O povo Celta, assim como outros povos de origem pagã, celebram o começo dos dias através do anoitecer.

Cada anoitecer nos faz lembrar que a Deusa, com sua magia e seus mistérios, reinará através da Lua, das emoções, e das intuições, mostrando-nos que enquanto os homens se acalmam e repousam depois de um dia intenso de trabalho, os sacerdotes e sacerdotisas começam o semear de um novo dia.

O Deus, que também descansa durante a escuridão, se prepara para um novo nascer, para um novo brilhar, para um novo amanhecer.

Esse acordar e dormir, descansar e trabalhar, morrer e nascer fazem do dia e da noite momentos muito preciosos e de intensa comunhão entre o masculino e feminino. É preciso que as duas polaridades estejam em perfeita sintonia para que a Natureza possa se manter equilibrada. Da mesma maneira, como a imagem refletida é o complemento da imagem projetada, homens e mulheres precisam estar juntos para que a comunhão perfeita entre o Deus e a Deusa possa refletir em momentos de intensa união e perfeição.

Esses momentos de equilíbrio entre o dia e a noite, marcados pelo pôr do sol, a metade da noite, o nascer do sol e a metade do dia, se tornam de extrema importância para magias. Da mesma forma, os momentos entre cada um desses pontos também se tornam importantes. Em um suposto tempo linear, os quatro momentos principais seriam: 6h, meia noite, 6h e meio dia; e os secundários: 9h, 3h, 9h, e 3h.

Sabendo que o universo é perfeito e que tudo que há no macrocosmos tem seu correspondente no microcosmos, muitas vezes é preciso entender o micro para alcançarmos e sentirmos a importância do macro. Para muitas pessoas fica mais fácil compreender o universo através de pequenos momentos do dia-a-dia para se ter uma real noção da extensão dos grandes momentos.

Como podemos ver existem quatro momentos do dia (24h) que são pontos vitais, e há quatro pontos secundários que são pontos de equilíbrio. No processo de imagem refletida para imagem projetada, temos no ano (365 dias) quatro momentos vitais: o primeiro dia do ano e o primeiro dia do quarto, sétimo e décimo meses – dias que caem na divisão exata do ano em quatro partes iguais, em quatro elementos. Temos, também, quatro momentos secundários: a entrada de cada uma das quatro estações, delimitadas pelos solstícios e equinócios. Assim nossa roda do ano está formada e em eterna harmonia com o universo.

Obs:Existe pequena variação (horas) desta data anualmente, é sempre em torno de, pois depende-se da hora exata dos solstícios e equinócios.
Trataremos aqui das datas do Hemisfério Sul, onde estamos.

Esta era a maneira de pensar e agir dos Celtas, que tinham seu calendário baseado nesses oito momentos do ano, quando reuniam-se em clareiras e templos para festejar ritualisticamente essas oito datas.



A cada uma delas deu-se um nome:

Samhain - Início de um Novo Ano - 30 de Abril
Yule - Solstício de Inverno - 21 de Junho
Imbolc - Festa do Fogo (Luz, Sol)– Noite de Brigit - 1º de Agosto
Ostara ou Spring – Equinócio de Primavera - Fertilidade21 de Setembro
Beltane - A Fogueira de Bell - 1º de Novembro
Litha ou Midsummer - Solstício de Verão - 21 de Dezembro
Lughnasadh - Festa da Colheita - 1º de Fevereiro
Mabon - Equinócio de Outono - 21 de Março

27/10/2008

OS SABHATS DA RODA DO ANO :

...Em Samhain, o Festival do retorno da Morte, os portões dos mundos se abrem e a Deusa transforma-se na Velha Sábia, a Senhora do Caldeirão.
O Deus é o Rei da Morte que guia as Almas perdidas através dos dias escuros de inverno.
Este é o mais importante de todos os Festivais, pois, dentro do círculo, marca tanto o fim quanto o início de um novo ano.
Momento de Honrar os Ancestrais e Celebrar a Morte para Renascimento.










..Em Yule, a escuridão reina como se estivéssemos no caldeirão da Deusa.
Assim, o Rei das Sombras transforma-se na Criança da Promessa.
O Filho do Sol, que devera nascer para restaurar a Natureza.
É desta data antiga que se originou o Natal Cristão.
Nesta época a Deusa dá a luz o Deus, que é reverenciado como CRIANÇA PROMETIDA.


Momento em que a Deusa é Honrada como a Grande Mãe.








...Em Imbolc, a luz cresce,

o Deus renascido em Yule se manifesta com todo o seu vigor,

a Criança da Promessa cresce com vitalidade e é festejada.

Os dias tornam-se visivelmente mais longos e renova-se a esperança.
Celebra-se a Deusa Brigith, a Deusa do Fogo, das Artes Marciais, da Criatividade, da Poesia, da Metalurgia..

Festival de Candlemas.








...Em Ostara, Luz e Sombras são equilibradas.

A Luz da vida se eleva e o Deus quebra as correntes do Inverno.

A Deusa é a virgem e o Deus renascido e jovem e vigoroso.

O amor sagrado da Deusa e do Deus é a promessa do crescimento e da fertilidade.

Ostara é o Festival em homenagem à Deusa Oster, senhora da Fertilidade, cujo símbolo é o coelho.

Foi desse antigo festival que teve origem a Páscoa. Pedimos a felicidade das criaturas da terra, os alimentos são ovos cozidos e bolos de mel.




..Em Beltane, a Deusa se transforma em um lindo Cervo Branco e o jovem Deus é o Caçador Alado.
Ao ser perseguido pela floresta, o Cervo Branco se transforma em uma linda mulher, e assim Eles se unem e a sua paixão sustenta o mundo.

Em Beltane se comemora esse amor que deu origem a todas as coisas do Universo.

Beleno é a face radiante do Sol, que voltou ao mundo na Primavera. Época de fogueiras e Mastro de Fitas .(Origem das Festas Juninas)








Em Litha. Solstício de Verão, a Deusa é a Rainha do Verão e o Deus, um homem de extrema força e vitalidade.

O Sol começa a minguar e o Deus começa a seguir rumo ao País de Verão.

A Deusa é pura satisfação e demonstra isso através das folhas verdes e das lindas flores do verão.


O Deus vai em direção à Sombra e deixa sua semente no Ventre da Deusa de onde renascerá.









...Em Lammas,  Celebramos o Festival da Primeira Colheita
A Deusa precisa de sua energia de vida para que a vida possa crescer e prosseguir.
O Deus se sacrifica para que a humanidade seja nutrida, mas através do grão Ele renasce.
No ápice de sua abundância, Ele retorna através Dela.
Agradecemos os frutos de nosso trabalho, através da reverência ao Deus Celta Solar Lugh, festejado neste dia e aqui no Brasil Celebramos o dia da Grande Mãe Yemanjá
.








... Mabon, O Sabbat do Equinócio do Outono .
Segundo Festival da Colheita
Época de celebrar o término da colheita dos grãos que começou em Lammas.
Também é Momento de agradecer, meditar e fazer introspecção.
O Mito de Perséfone, Ades e Demeter.

Anuncia a chegada da parte mais escura do ano


E a Roda Gira novamente, e sempre , sempre.....

26/10/2008

A Deusa e o Deus - Sagrado Matrimônio




Sagrado Feminino e Sagrado Masculino



A Deusa foi a primeira divindade cultuada pelo homem pré-histórico. As suas inúmeras imagens encontradas em vários sítios históricos e arqueológicos do mundo inteiro, representavam a fertilidade - da mulher e da Terra.
Por ser a mulher a doadora da vida atribuiu-se à Fonte Criadora Universal a condição feminina e a Mãe Terra tornou-se o primeiro contato da raça humana com o divino.
Desde a década de 60, a tomada de Consciência da Terra como valor mais alto a preservar sob pena de não mais haver espécie humana fez decolar a a importância da ecologia e o renascimento dos valores ligados à Deusa: a paz, a convivência na diversidade, a cultura, as artes, o respeito a outras formas de vida no planeta.
A Deusa é a Terra que pisamos, nossos irmãos animais e plantas, a água que bebemos, o ar que respiramos, o fogo do centro dos vulcões, os rios, as cores do arco-íris, o nosso corpo. Isto não significa substituir o Deus ou rejeitá-lo.
Há um Masculino e um Feminino Divino acessíveis dentro de cada pessoa. Esta energia, quando ligada plenamente na vida de alguém, cria a totalidade e o equilíbrio.
O cérebro lógico esquerdo e o cérebro direito intuitivo, unindo-se no coração.

Permitir que o coração seja tocado de um novo modo, tomando consciência da presença do Sagrado Feminino é aceitar e honrar a Intuição , substituir a força pela compreensão, abrir a mente, deixar o coração falar e trazer um comportamento mais amoroso para o equilíbrio nas ações .
Ambos, Deus e Deusa são as expressões da polaridade que permitiram que o UNO se manifestasse no universo... São os dois lados de uma mesma moeda... as duas faces do Todo, ou sua divisão primeira.
Honrar a Deusa e o Deus ainda é crer em um Ser Supremo que, ao se bipartir, criou o princípio Masculino e o princípio Feminino, o Yin e o Yang, o Homem e a Mulher.

O CREDO DAS BRUXAS

Ouça agora a palavra das Bruxas, os segredos que na noite escondemos,
Quando a obscuridade era caminho e destino, e que agora à luz nós trazemos.
Conhecendo a essência profunda, dos mistérios da Água e do Fogo,
E da Terra e do Ar que circunda,

Manteve silêncio o nosso povo.

O eterno renascimento da Natureza, a passagem do Inverno e da Primavera,
Compartilhamos com o Universo da vida, que num Círculo Mágico se alegra.
Quatro vezes por ano somos vistas, no retorno dos grandes Sabbaths,
No antigo Halloween e em Beltane, ou dançando em Imbolc e Lammas.

Dia e noite em tempo iguais vão estar, ou o Sol bem mais perto ou longe de nós,
Quando, mais uma vez,
Bruxas a festejar, Ostara, Mabon,
Litha ou Yule saudar.

Treze Luas de prata cada ano tem, e treze são os Covens também,
Treze vezes dançar nos Esbaths com alegria, para saudar a cada precioso ano e dia.
De um século à outro persiste o poder,
Que através das eras tem sido levado,

Transmitido sempre entre homem e mulher, desde o princípio de todo o passado.
Quando o círculo mágico for desenhado, do poder conferido a algum instrumento.
Seu compasso será a união entre os mundos, na terra das sombras daquele momento.

O mundo comum não deve saber, e o mundo do além também não dirá,
Que o maior dos Deuses se faz conhecer, e a grande Magia ali se realizará.

Na Natureza, são dois os poderes, com formas e forças sagradas,
Nesse templo, são dois os pilares, que protegem e guardam a entrada.

E fazer o que queres será o desafio, como amar a um amor que a ninguém vá magoar,
Essa única regra seguimos à fio, para a Magia dos antigos se manifestar.

Oito palavras o credo das Bruxas enseja:

SEM PREJUDICAR A NINGUÉM, FAÇA O QUE VOCÊ DESEJA.

CONECTE-SE COM A SUA DEUSA

CONECTE-SE COM A SUA DEUSA

CONECTE-SE COM A SUA DEUSA

No meu trabalho com grupo mulheres em São Paulo, nos questionamos sobre esta conexão :

Fomos "criadas e educadas" para sermos filhas, irmãs, esposas e avós que cuidam do outro e se dedicam.

Algumas vezes, por impulso de ajudar e "fazer o melhor" esquecemos de que nem sempre o outro quer ou precisa de ajuda e se o deixarmos em seu caminho com suas próprias limitações , sem julgarmos somente estando por perto, seremos de maior utilidade. Ocupar-se e preencher sua vida com a vida e o sentimento do outro só nos deixa vazias quando o outro não precisa ou não quer ajuda. Contatando com a nossa energia e amor próprio, fazendo conexão com a Deusa Interior e observando amorosamente a nossa beleza, as nossas necessidades e desejos seremos muito mais felizes. Colocando-nos como prioridade em nossas vidas será certamente muito mais produtivo e nos deixará ainda mais "belas". Esta beleza que virá de dentro transbordará em nós como sabedoria, calma e liberdade e, aí sim , faremos diferença para os seres que amamos pois o reflexo de nossa alegria e amor serão notados e compartilhados por quem quiser desfrutar da nossa generosidade. Queridas Deusas e Deuses, conectem-se e recebam o amor que a Nossa Grande Mãe dedica à todos os seres do Planeta!

Amorosamente,

Tanya Althea
http://www.jornadatantrica.com.br/